Intuição (?)

Um artigo sobre aquilo que não sei ao certo...

O que é? De onde vem? E pra onde vai? Pra que serve? Pra que não serve? Ela existe? É de dentro pra fora? Ou de fora pra dentro? Posso adquirir? Onde encontrar? Quanto custa? Aos pés da Pitonisa Digital, numa insone madrugada digitei a pergunta, com ar sapiente de quem vislumbraria a origem do Universo, como um axioma mágico que traria todas as respostas e a Era de Aquário começaria não só pra mim, mas para toda a raça humana: “O que é intuição?”
E ela me revelou aproximadamente 1.270.000 itens para “o que é intuição?” em 0,05 segundos! 

Ave Google! Aqueles que vão morrer na ignorância e escorados na preguiça te saúdam!
Pois a pressa do consumismo esotérico urbano é mais que uma febre ou uma moda emergente, contagi ou muitos dos anos 70 do século passado pra cá (minha geração).
 
A sapiente e onisciente entidade da “info-via” me passou na tela links, sites, blogs, sugestões de livros, CDs/DVDs e tais mais, numa miscelânea sem fim aparente, de respostas com tentativas de definições filosofais e filosóficas, poéticas e líricas, exotérico esotéricas, do ocidente, do oriente e oriente médio; religiosas de muitas linhas e de algumas seitas; da psicanálise, dos modernosos quânticos, neurocientistas, dos teosofistas, metafísicos, ocultistas, místicos de eras diversas do pensamento humano; dos antigos gregos e seus antecessores, predecessores e pós censores e fui me divertindo descobrindo assustado que se fala com tanto fervor em nosso meio de algo que não sabemos...

O que é intuição? Intuir? Não se sabe bem ao certo... mas gozado, parece que entendemos... pois sentimos!

E volta e meia soltamos algo referente à dita “Intuição” entre os nossos iguais, para nossos consulentes e parentes, como feita fosse uma panacéia para toda mazela que inquieta a intelectualidade limitada de nossa cabeça animal no fast-food místico contemporâneo.

O que é intuir/intuição? Prever? Saber antes? Sentir antes? Voz interior? Do coração, da alma, do espírito? Vozes externas de Devas, Anjos, Gênios ou Demônios? De guias - que démodé, não? - Mentor, facilitador, soa assim mais fino e afinado com o 3º milênio, a Nova Era... (mas cá entre nós: Há coisa mais antiga que a tal Nova Era?)

Ela fala de coisas que quando começamos a “pesquisar” trecos New Age, vamos a épocas inimagináveis de tão míticas, eras atávicas: 10 mil anos, 80 mil anos... Até 1 milhão 400 mil e uns quebrados anos... Coisas que vem da Babilônia, Mesopotâmia, Tibete, Índia, Antigo Egito, Antiga China, quando o ancestral do Imperador Amarelo ainda era em preto e branco. Da Atlântida, Lemúria, Shambala, Agharta, da Mãe África, genésica ante e pós-diluviana, da formação das eras geológica da Terra do Nunca ou donde o vento fez a curva...

Mas seja como for, maionese ou não à parte, encontramos tantas informações e citações pra tal Intuição e definições para mesma, que me perguntei com ares de adepto: “Se definir, não poria fim? A intuição é um fim em si mesmo? Ou início?” Parece feder à tão erudito lançar questões assim, que impressiona “né não”?

Quem me lê a esta altura pode se espantar com tanta erudição mística, mas, fala sério; não diz nada este tipo de pergunta ou afirmação filosófica de boteco e pior: Sofismática! Como racionalizar uma coisa que se afirma pertencer à outra esfera aparentemente tão antagônica?

Paradoxalmente (e redundantemente) Intuir é da área da intuição e não da razão/lógica/indução/conclusão... O mais próximo que cheguei ter em minhas humildes incursões de vida prática com a tal intuição/intuir é mais ou menos assim: uma experiência pessoal, automática e autônoma e intransferível mesmo quando costumamos compartilhar com os nossos iguais que durante uma leitura:

”Óia véi, me veio uma entuição tale e qualê qui me foi batata bélo!!! A criente me saiu a milhão!”

É tão indefinível em essência que ousamos pensar saber. Mas mesmo assumindo que não sabemos notem o mais estranho... Sentimos e temos e algo em nós sabe que temos... Mas o que é? E onde ela se alinha e se aplica à taromancia e tarologia? Ou aos oráculos contemporâneos e extemporâneos? É questão de evolução intelectual ou espiritual, autoconhecimento, individuação? É assim acessada como uns logons e logoffs, uma senha alfa numérica da Maga Patalógica, (aquela do Tio Patinhas), um cristal maravilhoso? Ou tomando uma beberagem tipo chá de lírio? Fumando ervinhas e/ou pedrinhas do Arcano XV?

Mas ela vem. Ela chega, alerta, avisa, ajuda a concluir decidir... Penso que Intuição é apenas sentida. Poeticamente, uma voz silente. Que vem assim dentro de nós e dá nó na nossa vacilante personalidade. Costuma surgir mansa e mansa se esvai, sutil, abstrata... E em outros cai como o raio do Arcano XVI! Tão fulminante que extasia e petrifica...

“Bruta bandeira meu!” Se ponha no lugar do consulente num momento assim! E pra explicar depois as caras e bocas…

O que pega mesmo é saber quando é Ela e quando é o nosso ego assim mais psicotrópico, psicodélico, etílico, idílico, “devaneiante”, empáfia da nossa soberba vaidosa, de Marketing pessoal, encosto e/ou obsessores, amebas astrais, ou mais grave... Aquele que não renovou a receita de Haldol ou similar e tá numa nóia de fazer dó...

Quer pior ainda? O puro achismo! Por não saber responder o que passa o símbolo numa jogada e não admitindo nem ao seu travesseiro ser apenas humano e que naquele momento se enrolou todo querendo fazer uma boa figura mística, justificando assim o ônus da consulta ou mesmo de uma caridade...

Mas como penso nela... INTUIÇÃO! O que é Intuição Meu Pai Eterno? Seria 6º sentido? 3º Olho? Insight? Palpite? Antever? Profetizar, adivinhar, vaticinar? E se possível fosse perguntar a Krishina, Bhuda, Sócrates e Platão, Biro-Biro e Casagrande? Cristo, Merlin, Nostradamus, John Dee, Levi, Papus e Crowley? Para Helena Petrovna Blavatsky: HPB pros íntimos (nossa assim parece nome de algum vírus ginecológico... credo!) Dom Juan Matus, Chico Xavier, Paulo Coelho? Edir Macedo? Luiz Gasparetto, Mãe Dinah, Walter Mercado ou Lobsang Rampa? Quem teria uma resposta satisfatória para gregos e baianos? O que falaria Zaratustra?

Há uns três anos venho ocupando minhas sinapses de tabagista trintenário e secundarista com este tema: O que É, e no último ano onde ela se encaixa no universo do Tarô, e desde quando a Intuição é assim tão pertinente para ser tarólogo, taromante e afins?

Eu fiz de tudo um pouco: meditação, orações e conjurações. Soltei mantras em Hebraico, Chinês, Hindus e Aramaicos pelos ares, tentando acionar minha glândula timo e pineal, abrir meu chacra frontal, canalizar um Mestre Ascenso. E se desenvolvesse a mediunidade? Se usasse mescalina, LSD, Êxtase, VIAGRA???!!!! Será que um guru abriria minhas percepções? O meu canal intuitivo? Ou só arrombaria o saldo da minha raquítica conta bancária?

“Santo Dayme: Daí-me Intuição!” - Trocadilho infame, com erro de português pior ainda... Medrei total, rindo de minha ignorância e aflição, e agora deste meu jeito de exagerar esta pobre tentativa de exegese.

Pensam que acabou??? “Nã-nã-nã não”! Arrematarei com outro infortúnio meu:

Dormi com as Lâminas debaixo do travesseiro: Sete dias com cada uma das 22! Consegui sim! Comprar outro conjunto depois do 155º dia. Que Arcano Maior me daria resposta? A sábia e intuitiva Sacerdotisa? Tão calada não me revelou nada... O Eremita? Não encontrei sua caverna... Que Arcano Maior então? Ou será que algum dos 56 Menores? Ainda divaguei, mas não tentei mais... Será que comecei na lua certa? No mês correto no hemisfério sul? Teria que me purificar com algum ritual? Dormir numa mesa radiônica? Deveria usar outro tipo de Tarô? Consagrando antes? Não comer carne vermelha, sem tomar bebida alcoólica, sem fumar e pior: Sem sexo???!!!

Bem a esta altura desisti em nome do meu casamento...
Pois é sabido que quem não dá assistência abre concorrência... Mas o que é intuição minha gente? Bem, estava quase me esquecendo... Que pra alguns é um mestre que só se apresenta quando o neófito está preparado. Hoje fico com as definições mais sábias e poéticas de Celina Fioravanti:

“Intuição é a inteligência do coração.”

Creio que aquele que põe o coração no que faz, sabiamente terá boas intuições...
Seja lá o que for isto para cada um.

Comentários