Quatro e o Tarô

Os quatros

Viajante, nesta quarta-feira - quarto dia da semana poderia falar de quatro estudiosos e suas relevantes contribuições para o Tarô: Wirth, Waite, Crowley e Julio Iglesias - não é o cantor. Ou de quatro figuras historicamente importantes para a evolução do entendimento a que chegamos hoje no Tarô: Gebelin, Levi, Mathers, Papus. Mas haveria tantos outros quatros que resolvi falar do quantitativo “quatro” no Tarô, evitando as associações diretas com a numerologia, por hora.


Quatro Naipes, quatro planos da existência: Material, Mental, Sentimental e Espiritual. Quatro figuras emblemáticas de cada um dos quatro Naipes: Pajem, Cavaleiro, Dama e Rei. Quatro Arcanos Menores de número quatro, com quatro pintas respectivas: Ouros, Espadas, Copas e Paus. Quatro seres querubínicos na carta do Mundo, quatro elementos simbolicamente representados na mesa do Mago.

Fonte Free Fotos
Quatro vezes temos imagens do sol nas Lâminas: Lua, Amoroso, Julgamento e Sol. Quatro coroas: Imperatriz, Imperador, Carro e Roda da Fortuna. Quatro jarros: dois com a Temperança e dois com a Estrela. Quatro anjos: Amoroso, Julgamento, Temperança e Mundo. Quatro tronos: Imperatriz, Imperador, Papa e Justiça. Quatro cenas com nudez: Diabo, Estrela, Julgamento e Mundo. Quatro apoios têm o dossel do auriga do Carro...

O Pendurado traça um quatro invertido com as pernas, como o Imperador – Arcano IIII também cruza as pernas desenhando um quatro. O Pendurado nulo ao concretizar algo, o Imperador realizador pleno. Quem sabe daí a visão do Pendurado ser invertida, utópica, onde nada se concretiza além do seu atributo de impossibilidade e inércia. Uma antítese taromântica?

Os símbolos do Tarô agem em quatro aspectos: percepção do que se vê; estímulo ao que é observado; reação ao que se viu; e conclusão do que foi visto.

4 de Paus do Marseilles Fournier - Fonte Taroteca
4 de Copas do Marseilles Fournier - Fonte Taroteca O Imperador do Marseilles Fournier - Fonte Taroteca 4 de Espadas do Marseilles Fournier - Fonte Taroteca
4 de Ouros do Marseilles Fournier - Fonte Taroteca

imagens: Marseilles Fournier Tarot Deck

Quatro também são as chaves para estudar e praticar o Tarô: Saber, Ousar, Fazer e Calar. (por Amorc) São quatro metas básicas, mas não as únicas. Se bem discernidas e aplicadas, em muito hão de ajudar na formação da base dos quatro pilares do Tarô: Tarologia, Taromancia, Metodologia e Ética.

Nada tão hermético nem cabalístico ou revelador. No ócio contemplativo segui a direção do número quatro em simplista analogia do quantitativo, pois se falando de caminho e busca nada tão evidente como uma encruzilhada, onde temos quatro possíveis direções: continuar, voltar, virar à esquerda ou direita... Ou você é do tipo que sai pela tangente?

Você levou quatro minutos para ler este artigo, Viajante?

Comentários

  1. Muito bacana o artigo. Mas seria aplicável a outros bralahos que não o Marselha? Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Emanuel,

    sim é aplicável a qualquer conjunto com 78 Arcanos: 22 Maiores e 56 Menores. Desde que se conheça a estrutura mais clássica, creio eu; para evitar confusões.

    "Porém, infelizmente, no final do século XX, por causa da imensa liberdade de pensamento e criação artística com que os símbolos do Tarô foram ilustrados, eles sofreram deformações em suas imagens - embora alguns digam que a imagem do Arcano está evoluindo, eu observo que está fragmentada." (Nei Naiff - Tarô Vida & Destino)

    Em breve, de acordo com meu ócio produtivo quero me aprofundar um pouco mais na questão. Aguarde!

    Abraços e obrigado!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Viajante,

sugestões e críticas são bem-vindas.
Concorde ou discorde, jamais ofenda.
Leia antes nossa Política de Comentários.


Deixe registrado aqui o seu melhor!

Ahlan wa Sahlan!!