Percepção, estímulo e reação

  

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

semaforos
Viajante, 1[...] dizem que a diferença entre o homem e os animais está na capacidade de raciocínio, eu vou mais além: na capacidade de simbolizar! 
O Tarô é um alfabeto simbólico. E o que é símbolo? A origem da palavra é grega:

1[...] Σύμβολο, symbolon, que reúne. Indicava um compromisso de amizade entre pessoas ou famílias. Esse vínculo era representado por uma pequena tábua de madeira, argila ou anel, que continha um sinal gravado e era dividida ao meio; cada pessoa ficava com uma parte, criando um sinal de hospitalidade recíproca.

2[...] Símbolo [Do gr. sWmbolon, pelo lat. symbolu.] Substantivo masculino.
1. Aquilo que, por um princípio de analogia, representa ou substitui outra coisa.
2. Aquilo que, por sua forma ou sua natureza, evoca, representa ou substitui, num determinado contexto, algo abstrato ou ausente.
3. Aquilo que tem valor evocativo, mágico ou místico.
4. Objeto material que, por convenção arbitrária, representa ou designa uma realidade complexa.
5. Elemento descritivo ou narrativo suscetível de dupla interpretação, associada quer ao plano das idéias, quer ao plano real.
6. Elemento gráfico ou objeto que representa e/ou indica de forma convencional um elemento importante para o esclarecimento ou a realização de alguma coisa; sinal, signo.
7. Sinal que substitui o nome de uma coisa ou de uma ação.
8. Figura convencional elaborada expressamente para representar uma coisa; emblema, insígnia.
9. Pessoa ou personagem que representa determinado comportamento ou atividade.
10. Alegoria, comparação; metáfora.
11. E. Ling. Termo empregado por certos autores para designar signo. [O símbolo lingüístico corresponde a símbolo (1), ao passo que no signo a representação é arbitrária.] 
12. Psicol. Idéia consciente que representa e encerra a significação de outra inconsciente. 
13. Numism. Sinais ou figuras que indicam, nas moedas antigas, o local onde foram cunhadas. 
14. Quím. Letra(s) que representa(m) um elemento químico. 
15. Rel. Enunciado dos artigos de fé nas Igrejas cristãs, para uso da comunidade. [Cf., nesta acepç., regra-de-fé.] 
16. Semiol. Signo que, em oposição simultânea ao ícone e ao índice, se fundamenta numa convenção social (o signo lingüístico, p. ex.) e mantém uma relação instituída, convencional, com o referente; signo arbitrário, signo imotivado.

3[...] Símbolo: Representação de uma qualidade abstrata. O misticismo e o ocultismo são ricos em símbolos que geralmente apontam para uma realidade transcendental que está além da compreensão consciente.
  
4[...] O emprego da palavra símbolo revela variações consideráveis de sentido. Para precisar a terminologia utilizada, é importante fazer a distinção entre a imagem simbólica e todas as outras com as quais ela é confundida com demasiada freqüência. Dessas confusões resulta uma diluição do símbolo, que acaba por se degradar e se transformar em pura retórica, academicismo ou banalidade. Se, na prática, nem sempre são claras as fronteiras entre valores dessas imagens, esta é uma razão suplementar para assimilá-las fortemente na teoria.

E qual a mágica? Como o Tarô nos fala através dos símbolos? Através desta seqüência:

Percepção – Estímulo – Reação

A percepção nos alcança sutilmente via rastreamento visual, a priori. Quando você está numa metrópole prestes a atravessar uma avenida movimentada, na pior das hipóteses, olha, mede distâncias e a velocidade dos automóveis e só então decide se vai, e em qual ritmo, de acordo com seu rastreamento/discernimento, ou seja, sua percepção. E se você é praticante do exercício de cidadania consciente, irá procurar um sinal/semáforo/farol, um local onde exista uma faixa de pedestre e ficará observando outro símbolo cosmopolita: o semáforo/sinal/farol onde temos tradicionalmente, ao menos, duas lanternas: uma verde e uma vermelha, para os pedestres.
 
 Abbey-Road-The-Beatles-Poster

Neste singular exemplo, contamos com alguns sinais ou símbolos que estão tão enraizados em nós desde a infância: luz verde/vermelha e faixas brancas no chão. Nos toaletes públicos, certamente antes de entrar você observa algo que identifica ser de uso feminino ou masculino, que automaticamente, você ajusta ao seu gênero antes de entrar, correto? Apesar de que há quem tenha a curiosidade de ver como é a rotina do outro lado, não?

1[...] Quando observamos um símbolo, a sua forma é percebida pelos olhos e uma imagem é formada na mente. Este nível de percepção é um elo entre a forma concreta e o significado pessoal ou coletivo, as imagens são associadas a outras imagens e se formam pensamentos diversos. Quando mais sensibilidade tiver a pessoa, mais rápido ela responde ao estímulo simbólico, Assim, a resposta simbólica é o comportamento resultante da PERCEPÇÃO-ESTÍMULO-REAÇÃO, podendo se constituir em palavras, sentimentos, idéias, conceitos, expressão, arte, filosofia, ciência, religião. Por isso, a superstição, o misticismo, a sabedoria e o conhecimento são aspectos individualizados ou culturais coletivos que interferem diretamente na crença e visão humana de um determinado símbolo em sua reação primária.

Se você vê uma aliança de ouro no anular de uma mão direita ou esquerda? O que te alerta? E se não há nenhum anel? E quanto a uma pessoa de óculos escuros e bengala desdobrável? E pessoas trajadas com roupas sacerdotais, uniforme militar ou terno e gravata? Cada coisa rotineira, ao ser vista, causa um estímulo que liga uma série de pacotes de informações que o cérebro registra e absorve com naturalidade, causando certa influência.

1[...] Psiquicamente, a percepção e a memória dependem quase que exclusivamente dos símbolos; uma imagem não é o próprio objeto, representa esse objeto. A imagem de um Arcano do Tarô não é o próprio Arcano, apenas o representa, e como tal, essa imagem não tem valor real, mas, sim psíquico e emocional. O simbolismo do Tarô aciona uma percepção-reação e forma um significado. Neste parâmetro vale uma regra fundamental: não devemos associar um símbolo pelo que achamos, mas sim, pelo seu “coerente” significado esotérico. É comum termos determinados conceitos simbólicos prefixados em nossa psique desde a infância e não observamos a real dimensão dos símbolos dos Arcanos.
 
Agora esta mesma situação do exemplo da metrópole, para alguém que veio de uma tribo distante do Amazonas... esta terá outros pacotes de informações, não? Como seria para você, em plena avenida movimentada, ver passar uma comitiva de boiadeiros a cavalo, conduzindo uma manada? O perceber de tal cena, lhe daria um estímulo e uma reação... não tão comum, certamente.

1[...] A percepção é uma espécie de sinal que identifica um objeto para a pessoa que o observa; a associação mental com outros objetos, similares permite a essa pessoa classificar e ordenar todas as formas de significação simbólica. Muita da vantagem perceptiva se aplica de forma objetiva e pode ser usada para aprofundar a compreensão do individuo, para ele se instruir ou instruir outro. [...] Freqüentemente, durante uma consulta de Tarô é necessário mostrar o Arcano que a pessoa está vivenciando ou projetando na sua vida, para que ela sinta e compreenda além das palavras ditas; uma vez visualizado é mais prático decodificar seu simbolismo e adequar a capacidade de raciocínio.

Para aquele que desconhece o oráculo, pode também trazer espanto, senão antes, ceticismo ou preconceito, que podem ser máscaras para o medo e a ignorância, acompanhados do rótulo de superstição e engodo generalizado, que são escudos de ataque e defesa.

Com as Lâminas do Tarô, o que há de mágico? Num atendimento você chega com uma questão. O operador, ou seja, aquele que “lê” as cartas, - Tarólogo/Taromante - de acordo com a questão, escolhe um método que, em palavras simples, seria um mapa com rotas e solicita geralmente que você escolha entre um ou mais montes do baralho uma quantidade “X” de cartas que estarão viradas (fechadas). Então você vai passando para o operador, que dispõe as cartas numa seqüência tal ordenadas, de acordo com um método, e depois, virando uma a uma, ele comenta, traduzindo para seu entendimento, o que interpretou para sua questão e momento.

Dizemos que este ritual da escolha das cartas traduz para o operador o que se passa de “não-conhecido” com você, ou do que “está por vir”. Depende muito do que leva um consulente à consulta. Este é o momento que o invisível atua e vai abrindo o que antes parecia um mistério: um enredo que está dentro de você e/ou o que de fora pode vir para você. Costumo dizer que o Tarô está fofocando revelando e que ele também, além de orientar na questão, com o presságio, tem como aconselhar melhores resultados. A partir deste ponto, dependerá do consulente. Tarô não faz destinos, como o Tarólogo não pode se responsabilizar pelas atitudes de quem o consulta... 

Jogada

O Tarô em si é um conjunto de figurinhas estranhas e curiosas, o consulente é aquele que procura orientação através de uma consulta com um Tarólogo/Taromante (operador). A magia da coisa está nesta trindade, onde cada qual, em conjunto, representa seu papel.

1[...] ESTUDOS COMPLETOS DO TARÔ - VOL. I - Tarô, Ocultismo & Modernidade - Editora Elevação, NEI NAIFF. (Esgotado)
2[...] DICIONÁRIO AURÉLIO - Uma vantagem para os assinantes dos produtos iG, iBest e BrTurbo
3[...] DICIONÁRIO DE MAGIA E ESOTERISMO - Editora Pensamento, NEVILL DRURY.
4[...] DICIONÁRIO DE SÍMBOLOS - José Olympio EDITORA, JEAN CHEVALIER/ALAIN GHEERBRANT e Colaboradores.

NOTA HERÉTICA: A boa intenção aliada à pretensão de trazer as informações contidas neste artigo, podem tanto ir ao encontro do que proponho neste artigo como de encontro à legislação vigente sobre direitos autorais. Salvaguardado momentaneamente pela diletância, que é estéril frente às leis, o @Herege em “sua sapiência”, registra sua tênue limitação e desinformação. Pois ouve desde tenra idade que o caminho do inferno, de boas intenções é pavimentado. Mais do que a sorte, está lançada a ousadia.

2 comentários

Luiz Costa comenta:

Caro,
Arierom
Mais um texto primoroso...
E muito bem pesquisado...
Mais uma vez quero parabenizá-lo pelo belíssimo trabalho que vem fazendo em seu blog...
Particularmente tenho me deleitado com seus posts...
Sempre com uma linguagem atual, objetiva e prática...
Que serve tanto para quem já estuda tarot como quem esta iniciando sua jornada...
Um forte abraço!!!

Arierom comenta:

Luiz Costa, sinto-me honrado por seu prestígio. Uma das minhas pretensões é falar de uma forma que toque a todos. Tenho me esforçado! Obrigado!!

Comente também

Viajante,

sugestões e críticas são bem-vindas.
Concorde ou discorde, jamais ofenda.
Leia antes nossa Política de Comentários.

Deixe registrado aqui o seu melhor!

Comentários e respostas são tuitados via feed.
Acompanhe @Blogdetaro e confira sua interação!
E/ou confira seus comentários seguindo o Herege no Facebook!

Ahlan wa Sahlan!!