A Roda da Fortuna

imagem: "Divided York e Lancaster," Painel de exposição descrevendo a história da Guerra das Rosas. Adaptado de Entretenimento e Ritual 600-1600, Peter A. Bucknell (Londres, Stainer & Bell, Ltd., 1979).

Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente
Ou foi o mundo então que cresceu...

A gente quer ter voz ativa
No nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega o destino prá lá ...

Roda mundo, roda gigante
Roda moinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração...
Trecho inicial de “Roda Viva” de Chico Buarque.

Viajante, o Arcano X - A Roda da Fortuna - vem nos falar das mudanças naturais, leves e necessárias em nossa jornada. Na estrutura do Tarô é a primeira carta que alerta para tais mudanças, instabilidades, alterações, mas com um dedo da Providência Cósmica. Seu termo Fortuna é ligado a deusa romana da sorte (boa ou má), da esperança. Corresponde a divindade grega Tyche e não se refere a questões de riquezas materiais ou dinheiro.

Não são assim mudanças trágicas, os presságio do Tarô não tem este tom de fatíloquo, como ainda habita o imaginário popular, mas inevitáveis. E a Roda da Fortuna que gira vem demonstrar bem o que todos nós já percebemos de um jeito ou de outro: nada se mantem no seu apogeu, seja nas baixas ou nas altas… Mudança faz parte da vida, pois é uma Lei Universal. Por mais que a nossa zona de conforto (comodismo ou vaidade) deseje diferente, o resultado não será exatamente o desejado, podemos ter caminhos diferentes do almejado, mas nunca negativo.
A Roda da Fortuna Imagem: 1JJ Swiss Tarot Cards – AGM AGMüller

Tudo é passageiro como efêmero e transitório, depende da evolução de cada um aceitar estas mudanças sem resistência, mas com sabedoria. E por vezes o melhor é não querer nem saber o porque mudou. No mais são tão rápidas que mal teremos tempo para choramingar o leite derramado, pois estas mudanças nos lançam a outras direções, que podem ser melhores daquelas que estávamos projetando em nosso livre arbítrio. No pior do pior estaremos trocando apenas seis por meia dúzia, como dizia minha amada Avó Materna, mas nada sombrio ou catastrófico.

De momento me ocorrem exemplos de certos fatos trágicos, como queda de aeronaves, onde algum passageiro acaba não embarcando devido a uma mudança da Roda em sua Fortuna. Um pneu que fura a caminho do aeroporto; a troca de um sobrenome na passagem, que não condiz com o da identidade e impossibilitou seu embarque naquele vôo... Eu particularmente vejo a ação da Fortuna. Creio que o Viajante que me lê agora deve ter suas lembrança de causos assim…

La Roue de la Fortune. Calque de miniatures de l’Hortus deliciarum de Herrade de Landsberg (XIIe s.)

A Roda da Fortuna altera sem nos avisar, mas discernindo posteriormente, percebo como um aviso (e alívio!) de que certos desejos ou desígnios não nos pertenciam no dito momento, não seriam para o nosso melhor. Por mais pessimista que um ser humano seja, pense: O Universo conspira a nosso favor e a Roda é uma mão na roda para todo aquele que deseja realmente cumprir algo edificante sobre a face da Terra. Mas alerto que a conspiração sempre será em consonância com o que desejamos, pensamos, falamos e fazemos, pois outra Lei imutável é da causa e efeito! O Universo não possui discernimento, apenas ação em sintonia com nossas vibrações!


Comentários

  1. Sabias palavras, eu ate que gosto dessas mudanças repentinas, que nos forçam a agir, porque negar isso é negar a vida.
    As veses uma sacudida poe tudo no seu devido lugar.Adoro!
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  2. Senhor da Vida,
    também encaro numa boa essas mudanças... quando pintam em meus jogos pessoais.
    Grato pelo comentário!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Viajante,

sugestões e críticas são bem-vindas.
Concorde ou discorde, jamais ofenda.
Leia antes nossa Política de Comentários.

Não realizamos: interpretações de jogos, combinações de cartas e atendimentos.

Deixe registrado aqui o seu melhor!

Ahlan wa Sahlan!!