Oráculos, oras bolas…

Autoconhecimento, para quê?

Para dentro de si mesmo
Viajante, neste 1º domingo de maio, deixo vocês na companhia destas linhas vãs filosóficas do meu  ócio produtivo, que em verdade é um comentário do @Herege numa comunidade do Orkut:Baralho da Vovó Cigana”. Bom domingo a todos!

"Nem todos que estão são, nem todos que são estão."

Estudar oráculos com cartas é aberto a todos, sem dúvidas. O que nos leva a procurar orientação, estudar e praticar tem infinitos motivos. Mas seja como for, de nada valerá perguntar se não estamos aptos para ouvir as respostas.

Não conheci fatalismo em nenhum deles até hoje. Sempre há uma saída, um conselho, mesmo para os mais enfáticos acontecimentos de uma previsão, que possam ir de encontro a nossa vaidade e orgulho.

Sem esquecer que as cartas em geral falam de um momento, e que podemos até mudar certos fatos, se mudarmos internamente e assumir outros paradigmas. Mas entendo que há coisas que desejamos que não estejam em nosso destino. "Se queremos mudanças, sejamos a própria”. Mas quando somos regidos pelo ego exaltado e cego? Pergunto: Para que procurar os oráculos então?

O autoconhecimento não está em preencher estantes com tomos e mais tomos de livros esotéricos, espiritualistas e etc., que muitas vezes mal lemos o prefácio. Muito menos frequentar inúmeros cursos do gênero e buscar gurus e mestres das mais variadas correntes. Não invalido quem tem esta sede, mas questiono o que leva cada um tentar estes caminhos.

Autoconhecimento é conhecer a si mesmo e se respeitar, entender que tem limites e limitações. A busca de um caminho espiritual ajuda? Sim! Mas do que adianta se as razões externadas não condizem com os motivos internos? Do que adianta perguntar aos oráculos, se não temos "ouvidos de ouvir" e "olhos de ver"?

Já que pode ser "buscado" por qualquer um, será que todos permanecerão? Será que não há uma missão espiritual no fato de sermos um pedreiro, engenheiro, dona de casa ou advogada? Será que estas portas abertas a todos, podem abrigar a todos realmente? Será que todos estão aptos para permanecer e seguir? 


Comentários

  1. Amigo Herege, não tenho conhecimento suficiente para discutir tarô, mas sempre gostei desses mistérios, mas uma coisa que escreveu no seu texto e que acho muito correta, é que somos o que queremos ser, ou seja, se queremos mudanças, temos que fazer o impossível para mudar o nosso interior. Abraços. Roniel.

    ResponderExcluir
  2. Saudações,Arierom!Como uma vez disse em outro comentário,infelizmente o saber místico é banalizado.Fico triste até,em ver astrólogos sérios tendo que publicar seus trabalhos em cadernos de "passa-tempo",ao lado de quadrinhos e palavras cruzadas... É um problema cultural portanto,o buscar-se,sem jamais encontrar qualquer "traço" de si.Todos os livros do mundo,são apenas um primeiro passo;o resto da caminhada e por onde ir,será dito,ao pé do ouvido de quem for merecedor. Tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  3. Muitas vezes quem procura orientação e está até é dada, não muda suas atitudes perante a vida. Ai fica difícil, né? O que é dito como orientação, deve ser buscado com mudança.

    ResponderExcluir
  4. com certeza que é entendendo os "limites"
    gostei da matéria.
    abçs

    ResponderExcluir
  5. Perfeito, do que adianta ter ouvidos e nao querer ouvir mas ja ficar ali, preso na torre do orgulho nao e mesmo.Esses so o raio pra libertar dessa rigidez mesmo, agradeço pela visita.

    ResponderExcluir
  6. Amigo Herege,
    Penso que a vida é uma grande oportunidade de aprendizagem e evolução.
    Porém, para que assim seja, é preciso querer aprender. Sem flexibilidade e entusiasmo por conhecimento torna-se mais difícil trilhar novos rumos.
    Como bem escrevestes, "do que adianta se as razões externadas não condizem com os motivos internos? Do que adianta perguntar aos oráculos, se não temos "ouvidos de ouvir" e "olhos de ver"?
    Portanto, autoconhecimento só terá importância quando de fato buscamos a evolução.
    Abraços de luz

    ResponderExcluir
  7. Roniel, Radi, Fávio, Mr. Jones, Senhor da Vida, Psiquismo;

    amigos, a vida é um aprimoramento e viver é a lapidação do nosso diamante, o Espírito. Cada qual a um certo ponto elege sua via, e será nos detalhes que nos faremos melhor. O chamado aprimoramento espiritual pode estar nas Religiões, Seitas Filosóficas e nas Ciências da área esotérica, mas também fora delas, ateus, materialistas, agnósticos também cumprem suas escolhas.
    Enfim o que fará a diferença será o proceder de cada um durante a existência.

    Abraços e obrigado pelos comentários que sempre acrescentam.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Viajante,

sugestões e críticas são bem-vindas.
Concorde ou discorde, jamais ofenda.
Leia antes nossa Política de Comentários.

Não realizamos: interpretações de jogos, combinações de cartas e atendimentos.

Deixe registrado aqui o seu melhor!

Ahlan wa Sahlan!!