Como perguntar ao Tarô

Formspring

Viajante, muitas fontes inspiram o @Herege a vã-filosofar e quando o ócio produtivo se alinha aos demais planetas, cá estou eu a doirar pílulas. Recentemente liberei para o Formspring (Serviço este descontinuado pelos responsáveis em Março 2013) do Blog de Tarô, que há algum tempo aguardava oportunidade para se lançar publicamente.

Com essa oportunidade, a leitora @NandaBotelho deixou uma simples mas relevante questão: Como se faz uma boa pergunta?(ao Tarô), e resolvi dar sequência ao tema aqui...

Partindo de que temos algum conhecimento básico dos Arcanos, a pergunta estará intimamente ligada a escolha de um Método de Tiragem, e isto também pede algum conhecimento. Em linhas gerais, um Método de Tiragem não é construído aleatoriamente como se pensa ou pelo menos não deveria. Temos na forma geométrica da disposição das cartas na tiragem, dicas básicas para cada tipo de questão, situação ou pergunta.

- Métodos Circulares: não são indicados para perguntas objetivas ou situações determinadas. Possuem posições (casas) que trazem valores que já demarcam aspectos da vida do consulente. São excelentes para atendimentos onde se deseja uma análise mais ampla do momento, sem necessidade de perguntas diretas. O meu favorito é o Jogo das Casas Astrológicas (Mandala Zodiacal)

- Métodos Triangulares: são indicados para conselhos ou situações determinadas, pois possuem proporções que apontam direções que podem ser seguidas. Não são indicados para perguntas objetivas, apenas situações. O Triângulo é encontrado em métodos com  forma de estrela, pirâmide, como Estrela de Davi, Conselho do Pequeno Mestre, Pirâmide.

- Métodos Quadrados:  são ótimos para análises práticas e dinâmicas terrestres, onde analisa questões opostas e separadas, e não é indicado para  perguntas objetivas. Exemplos: Tabuleiro Cigano, Conselho do Grande Mestre, Quadrado Mágico, Templo de Afrodite.
 
by Stephanie

- Métodos em Cruz: são mais indicados para perguntas objetivas. Analisam todos os elementos da questão ou da pergunta em si,  podendo ser usadas perguntas objetivas ou até “genéricas”, onde prós e contras estão nalguma sequência (casas) e indicam um resultado, um conselho ou uma solução. Destacam-se o Cruz Celta e o Peladan.

E como fazer então uma boa pergunta? Para termos uma boa resposta, a chave está no como perguntar. Quanto mais simples e objetiva for a pergunta, melhor. Evitando ser dúbia ou estar condicionada a outras situações. Se o Método permite ou pede uma delimitação de tempo, usar; para que a resposta não fique com teor indeterminado.

Evite pontuar um período de tempo muito extenso, pois o Tarô acompanha a dinâmica da vida e não do tempo linear que pontuamos ao jogar. Uma mudança nas atitudes do consulente pode acelerar determinados acontecimentos e é justamente por este foco que creio: um conselho do Tarô vale mais que a própria previsão.

Um jogo de Tarô é o reflexo do nosso momento atual e de como podemos ou não reagir e interagir com a vida. Haverá fatos que por mais que desejemos, não teremos o poder de mudá-los. Certas transformações dependem de nós, mas outras  tantas dependerão de terceiros e do enigmático "destino". Mas mesmo assim o Tarô estará apto a lhe dar uma direção, que vem sempre na forma do conselho

cartomante
Imagem by Mandrade

Ouse perguntar, mas tenha também ousadia de escutar e entender as respostas. Será que o Viajante estará preparado para ir ao encontro do seu sagrado? Faz quem pode, segue quem quer.

Comentários

  1. Saudações,Arierom,bom é ler-te aos domingos logo "cedo". Porém,os links p/ o microblogging e o formspring,conhecerei depois;ando tão enrolado que tá difícil até curtir um happy hour... Fases e ciclos,ciclos e fases... Vaminfrente! Então...Sobre a preferência de muitos em evitar a formação das Cartas em "estrela de davi",sei não,mas acho que isso aí, vem do preconceito de se temer as "posições invertidas",como pode ser o caso dos Arcanos XII e XVIII ficando eles "de pé" numa tiragem ou estudo ou, qualquer dos outros se "invertendo"... É,sinais são sinais;maaassss,é sem paranóias que o universo se equilibra no caos...("Caos" pra mim, é igual a "Acaso":não existe;tudo está em perfeita ordem e sincronia) e, por falar nisso, em perfeição,são mesmo as dúvidas e perguntas simples feitas "por nós crianças",que realmente mostram toda a complexidade do Mundo,ou como queiram,do Universo...

    ResponderExcluir
  2. @Radi,

    é no caos que tudo se ordena ou se reordena. Aprecio o "acaso" na sua forma de expressão mais antiga: Obra do Universo.
    Mas o acaso é uma Lei que o homem ainda desconhece, pois tudo tem uma causa.
    Hereticamente não faço uso das cartas invertidas ou arcanos ocultos, mas utilizo por demais a Reversibilidade dos Arcanos, quando um método tem casas: do Carma, de Conselho, Obstáculo, Casa Negativa...
    O problema, que há muitos métodos com nomes similares, com disposição, ritmo de leitura e valores diferentes, aí não é caos, é anarquia mesmo...

    Obrigado pelo comentário e forte abraço!

    ResponderExcluir
  3. Como fazer uma boa pergunta. Falta aqui alguns exemplos para facilitar a compreensão, faria sentido. Haverá por aí alguém capaz de postar um exemplo que seja? Obrigados.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Viajante,

sugestões e críticas são bem-vindas.
Concorde ou discorde, jamais ofenda.
Leia antes nossa Política de Comentários.

Não realizamos: interpretações de jogos, combinações de cartas e atendimentos.

Deixe registrado aqui o seu melhor!

Ahlan wa Sahlan!!