Arcanos Maiores e o Dia do Trabalhador

Workaholic

Viajante, muito bonito este emblemático dia de feriado, ainda mais quando cai num domingo! Assim saudando todos os trabalhares pela data festiva, falarei um pouco sobre as posturas de trabalhadores com foco nos arquetípicos Arcanos Maiores do Tarô. Siga a jornada…

O Mago: Muito ativo e nutre um bom relacionamento no ambiente de trabalho, querendo sempre um posto melhor, é bom em comunicação e desempenho, cheio de gás. Um ótimo líder sindical, diria.

A Papisa: Um trabalhador estável, culto e pontual, mas limitado para buscar novos cargos e salários, acomodado e sem iniciativa. Esperando e dependendo sempre de algum reconhecimento dos superiores, não convide nunca para fazer piquete ou discurso numa greve.

A Imperatriz: Bem visto na profissão escolhida, planeja as metas profissionais com carinho e determinação, e as executa! Seus superiores reconhecem e admiram seu desempenho. Sempre sobe um degrau na empresa. Prospera na profissão.

O Imperador: Visto como o chefe, gerente ou dono do negócio em leituras de cartas. Seguro e bom administrador, ativo e responsável quando empregado. O tipo que se aposenta na empresa que começou, pois já entra planejando o futuro e faz por merecer chegar lá.

O Papa: Profissional estável; cumpre o que lhe é pedido; pontual para chegar e para sair. Faz bem o combinado; nem mais, nem menos. Boas pedras, geralmente promovido por tempo de serviço prestado.

O Amoroso: É o tipo que nasceu com o bumbum para lua, atrai bons cargos e salários; alegre, dinâmico, expressivo; sempre motivado por sua boa estrela. Cumpre bem o que lhe determinam, e por vezes é disputado por setores e chefes.

O Carro: Líder entre seus colegas, competitivo e determinado, não faz o tipo fracassado e se cair, cairá de pé e muda o jogo com inteligência, rapidez e determinação. O workaholic.

A Justiça: Oscila no trabalho entre bons e maus desempenhos e momentos. No mau, faz comentários em hora e lugar inadequado para pessoas erradas. Por vezes compromete possíveis promoções e a chefia tem que chamar num canto para um particular - pois é bom trabalhador. No bom, é equilibrado, imparcial e racional, mas frio e até um tanto antipático.

O Eremita: O profissional de carreira. Sua maior ambição é se aposentar no cargo e lugar que começou. O tipo que, nos filmes antigos de Hollywood, ganha um relógio de ouro no último dia de longos anos de trabalho.

A Roda da Fortuna: Este é o tipo que têm altos e baixos no trabalho. Junto com o tipo A Justiça, vê-se no meio da fofoca, mas que outrem repercutiu. Aquele que sempre é lembrado para as transferências entre as filiais para cobrir ausências. Oscila, mas não desestabiliza. Balança, mas não cai.

A Força: Bom profissional e quando chefe, excelente! Bem relacionado e estimado por todos. O típico funcionário que depois de alguns anos é convidado para as esferas mais altas da empresa para sócio ou acionista. Sabe controlar e administrar crises e estabilidades com Inteligência.

O Pendurado: O tipo que, se entrou numa empresa, não consegue fazer acontecer seu potencial, pois sua expressão é confusa, para não dizer medonha. O tipo: “só sobra para mim, ó céus, ó vida, ó dor” ou “estudei tanto para isto?”. Vive insatisfeito, “entre caras e bocas”, cumpre sua carga horária com resignação e melancolia. O “chatonildo” do horário de café.
Funcionário público

A Morte: O tipo que faz com suas próprias mãos seu caminho, não espera ninguém mandar. E se não estiver satisfeito com o emprego, não pensa duas vezes para buscar outro trabalho que compense seu dinamismo e inteligência. Também possui potencial para prosperar em médio prazo.

A Temperança: Cauteloso nas mudanças; trabalhador estável e equilibrado; o tipo que faz curso a noite ou no final de semana, de olho em futuras funções e ganhos na empresa em longo prazo. Não têm vaidade se precisarem dele para executar funções inferiores a sua capacidade, desde que não mexam no seu salário.

O Diabo: Este é o cara competitivo! Muito mais que O Carro. Tem liderança nata, é bem quisto pelos colegas, é ambicioso e perspicaz. Às vezes é disputado por mais de um setor ou empresa. Faz, acontece e se banca! Faz muito trabalhando pouco.

A Torre: Este é o estereótipo “bucha de canhão”. Sobra sempre para ele; se envolve fácil em conflitos no ambiente de trabalho. O tipo “bola da vez” para ser demitido. Quando menos, não cumprem com ele promessas feitas; em troca, uma transferência não vantajosa, por exemplo. O último na fila para promoção e primeiro na lista de corte.

A Estrela: Profissional em crescimento e expansão, bem classificado e ainda, de quebra, está sempre sendo promovido por sua capacitação profissional. Nutre bons relacionamentos com todos, independentemente dos cargos e funções que os colegas ocupem na empresa. O tipo que sabe o nome da faxineira e da mocinha do café, como dos donos da empresa. Sempre com um sorriso pronto e uma palavra boa nos lábios. Mesmo quando querem puxar seu tapete; não guarda rancores de nada e ninguém. O bom samaritano. Pouco? É um otimista nato!

A Lua: Bem competitivo também no quesito promoção e reclassificação na empresa. É popular, ativo e detém relacionamento amistoso com as pessoas certas, sendo favorecido por vezes numa empresa. Entra por indicação (QI), mas não fica a sombra dos padrinhos. Diria "costas quentes", mas não menos capaz.

O Sol: É o profissional bem sucedido e tem a égide arquetípica bem característica dos atributos do Arcano XIX. O nerd genial e simpático, possui brilho próprio. Tipo capa da Forbes Magazine ou aquele “trabalhador acima do padrão”. Um empreendedor nato e ativo. Devido suas atitudes, faz carreira meteórica estável e com sucesso, fama e riqueza.

O Julgamento: O tipo que sempre se destaca igualmente pelo convívio e relação no ambiente de trabalho, seja com quem for. O genro que mamãe pediu a D_us, diriam as moçoilas casadouras de outrora (não é vovó?). Recebe promoções e prêmios por causa de seu desempenho profissional, sendo sempre bem avaliado e admirado pelos superiores e colegas. Outro tipo que merece ser seguido como exemplo profissional.

O Mundo: O tipo que sempre busca novos horizontes e meios melhores de ganho. Tem bom cargo e salário, em alguns (poucos) anos poderá largar tudo e empreender carreira solo de patrão, graças ao que acumulou economicamente e ao knowhow adquirido na área de atuação. Costuma ter sucesso nos desafios em médio prazo. Um visionário audaz e competente.

O Louco: Eis um companheiro complicado! Displicente, irresponsável, relaxado e falastrão. Não se adéqua ao ambiente e função. Chega a desagradar na primeira semana de trabalho chefia e colegas. Minha tia Marcina (Allah o piedoso, a tenha em sua compaixão!) diria que não esquenta carteira nem em período de experiência. Vive endividado, mas ele se importa? Não!

Com os Arcanos Menores, também há algumas correlações arquetípicas possíveis com o trabalho, mas isto, quem sabe, fica para outro 1º de Maio. Afinal a data é potencializada: Domingo e feriado. Já estou no lucro por você me prestigiar até esta linha.
Karl MarxViva o 1º de Maio e você!

Comentários

  1. Adorei o texto, acrescento que A papisa me lembra muito a secretaria que fica sempre ali lambendo o patrão ,sabe dos podres, mas fica na dela para não sobrar pro seu emprego.Feliz Dia do Trabalhador!

    ResponderExcluir
  2. @Senhordavida,

    ela também me passa essa impressão de carregar o mundo nas costas sem reclamar; detendo segredos divinos e mundanos, quando o silêncio é a sua defesa e proteção ...

    Boa semana!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Viajante,

sugestões e críticas são bem-vindas.
Concorde ou discorde, jamais ofenda.
Leia antes nossa Política de Comentários.


Deixe registrado aqui o seu melhor!

Ahlan wa Sahlan!!