Autoconhecimento, este desconhecido

Meditar
Viajante, existem algumas expressões que são repetidas a exaustão, dando uma falsa impressão de que conhecemos tal termo e assim, feito cantilena, acabamos fazendo mau uso do mesmo. Autoconhecimento, quando você ouve ou repete essa palavra, que sensação isso te causa? Para mim, às vezes, parece uma velha desconhecida de longa data.

Nos práticos dicionários online, encontrei a definição mais simples: "Conhecimento de si próprio". Será que você tem? Na Wikipédia: "em filosofia, o autoconhecimento ou conhecimento de si é ou um objeto de investigação epistemológica ou é a finalidade de uma busca de natureza ética". Link >>

A psicologia afirma, em linhas gerais, que se trata do conhecimento do ser sobre si mesmo e que tal maravilha permite que este ser possua controle emocional, evitando baixa autoestima, frustração, ansiedade, inquietude, proporcionando bem-estar que se traduz em atitudes produtivas e conscientes, sobre suas próprias limitações e outros problemas. Ou seja, alguém que sabe se por na vida, sem se impor sobre os demais.

Como se trabalha o autoconhecimento do oraculista e do consulente, na prática tarológica? Vamos ver um pouco pelos dois lados da mesa. O tarólogo seria o leitor e o consulente, o ouvinte.

O leitor é uma pessoa que, por iniciativa pessoal, abraçou uma prática que é desenvolvida através de algumas ciências cultas e outras tantas ocultas, se me permitem o trocadilho, se direcionando ao aprimoramento pessoal, tendo a oportunidade de evoluir prestando um serviço ao próximo.

Muito do que um leitor trás para o Tarô, já faz parte do seu histórico de vida, de suas crenças, por curiosidade e/ou afinidade com assuntos esotéricos e espirituais. Um tarólogo conhece a si mesmo? Penso que analisar uma situação como leitor não me dá o direito de julgar, e muito menos condenar, o proceder do ouvinte, apenas por discordar de alguma questão levada para a mesa de consulta. Também há uma coisa que acho medonho, o leitor deitar discurso moral, sendo que, por vezes, nem o mesmo utiliza o que prega.
autoconhecimento
Foi uma frase de Cora Coralina que me despertou para esse fato: “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”, bem adverso do: “Faça o que eu mando e não o que eu faço!”. É pífio. O leitor tem que proporcionar, durante a leitura para seu ouvinte, a reflexão do que pode estar ajudando ou atrapalhando seu caminho. Houve ocasiões que aquilo que eu interpretava para o consulente serviu até para meus próprios processos.

De forma geral, é levar o ouvinte a se ver por dentro e por fora, sem abominar seus atos pregressos. Sem que ele se sinta oprimido por estar abrindo seu coração. Alertar das responsabilidades e não das culpas, e para com quais fatores o mesmo pode contar para encontrar saídas ou paz de espírito.

Indiretamente proporcionamos um repensar, sugerindo uma avaliação para a conduta do ouvinte, das potencialidades que este é possuidor e deve imprimir, apontamos caminhos que, mesmo sendo dolorosos, em alguns casos, são a saída para encontrar satisfação futura. A resposta já reside dentro do ouvinte e o Tarô é a mão mágica que pode retirar os véus sobre aquilo que o impede de encontrar a saída, mas só se houver disposição para ser a causa (fazer seus 10%!) por onde o destino fará seu efeito (90%).

Qual a mágica? A mágica está nas atitudes do ouvinte se este fizer sua parte. Indiretamente, penso ser uma das formas de despertar o autoconhecer no consulente pela via prática, quando o destino poderá agir com seus 90%, trazendo os efeitos desejados.

O autoconhecimento é causa e efeito num único ponto para nossa evolução pessoal. Conhecer a si mesmo pode ser uma aventura prazerosa. Pode, de início, chocar nossa vaidade até ferir nosso orgulho, mas desejar ser sábio de si mesmo requer humildade, reconhecer que somos estranhos a nós mesmos, do quanto pensávamos saber, descobrir que o desconhecido ainda é infinitamente maior do que se imagina.




Comentários

  1. Muito legal! Conteudo importantíssimo! Penso bastante sobre isso.
    abração

    ResponderExcluir
  2. Sempre escrevendo com excelência. Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  3. Concordo com os amigos, é um ótimo convite a reflexão.Abs!

    ResponderExcluir
  4. Ótimo texto!

    Venho no processo de autoconhecimento há 20 anos e tenho tido bons resultados, hj sei melhor o que aguento e não aguento, o que gosto e desgosto, minhas falhas de caráter e minhas virtudes, e posso olhar para mim de uma forma amorosa. Sei que sou um universo e ainda tem muitos recantos que não alcancei e nem vou alcançar... Mas o que já sei contribui para um vida melhor.

    O tarô me ajudou muito neste caminho, principalmente me mostrando o que eu tinha dificuldade de ver, ele ainda faz isso ! rsrsr É meu amigão de todas as horas, aquele ser que diz, mesmo o que ainda não entendo direito.

    Bjs!!!

    ResponderExcluir
  5. Edy De Lucca, obrigado por nos prestigiar. Volte sempre!

    Emanuel, sinto-me lisonjeado. Obrigado!

    Senhor da Vida, obrigado pelo carinho habitual!

    Nanda, o Tarô é uma excelente ferramenta para nos olhar por dentro!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Viajante,

sugestões e críticas são bem-vindas.
Concorde ou discorde, jamais ofenda.
Leia antes nossa Política de Comentários.


Deixe registrado aqui o seu melhor!

Ahlan wa Sahlan!!