As jornadas do Viajante

Jornada
Nosso espírito, parte luz doada, foi e será constituído de tijolos que entendemos por alma. Cada alma é uma volta à forma para aperfeiçoar a luz recebida desde que o tempo não se marcava ou quiça existia, estaria no pó dos sistemas e das galáxias que foram assim se formando pela sabedoria do Ser Cósmico - Aquele sem gênero nem definição.

Cada tijolo assentado é uma manifestação única, que não se repetiu ou se repetirá alhures, mas trará todos os matizes da impar manifestação, deixando de existir como individualidade para ser totalidade na construção evolutiva do espírito, na trajetória que pensamos ser a morte.

Espírito, algibeira que contém os aprendizados, que remete a outros tijolos necessários para continuarmos nossa viagem, mesmo que esquecidos entre os véus de Maya do dia de hoje ou de ontem, seguiremos a estrela do amanhecer do Ser, crendo ser assim o que pensamos ser a vida. Ignoramos o que nos faz continuar respirando no invólucro que pensamos ser o corpo, que cisma ser o que vê frente ao espelho do final de cada dia.

A alma é o acumulador dos atos bons ou vis que saboreamos, mas é no espírito que deixará sua marca indelével, quando deixarmos de ser o que declinamos. Pode ser que em teu espírito existam registros da Roma antiga, na forma de um centurião, imperador ou escravo, por exemplo, de nome Tacitus ou Lulia. Mas saiba, não existem mais. Não és reencarnação destes, pois a carne não volta a forma, como as sementes que podem tornar a ser a árvore que foram uma dia. Se agora és José ou Maria, entenda que és a soma do melhor que apuraste, de todos os tijolos que passaram e se edificaram no que entendes por espírito.

A alma sempre será diluída e esquecida, para teu próprio bem evolutivo, mas os tons das tuas obras servidas enquanto alma manifesta na carne, esta sim, acrescentará ao bolsão do teu espírito que, hora outra sim, voltará à forma para ampliar o seu melhor, e um dia, ser tão digno da herança d’Aquele que te gerou por amor, no fogo primordial das eras. És uma fagulha a conviver entre outras tantas, com mais ou menos brilho, mais ou menos calor!
Idas e vindas
Boa semana, Viajante...

Comentários