A sordidez

Dick Vigarista

“A sordidez e a morte cochilam em nós, e nem todos conseguem domesticar isso. Ninguém me diga que o caluniador é um bom pai, um filho amoroso, um profissional honesto, e apenas exala seu mortal veneno porque busca a verdade. Ninguém me diga que somos bonzinhos, e só por acaso lançamos o tiro fatal, feito de aço ou expresso em palavras. Ele nasce desse traço de perversão e sordidez que anima o porco, violento ou covarde, e faz chorar o anjo dentro de nós.” - Lya Luft.

Arcano XV - O Diabo
Radiant Rider-Waite de Virginijus Poshkus – U.S. Games


Tenho tentado me colocar à margem de qualquer coisa que me remeta ao mundo tarológico.

Não pelo oráculo e seus desmembramentos, mas por algumas pessoas que insistem, com suas atitudes anômalas, contaminar esse mundo que deveria ser harmônico.

Já há muito vimos discutindo (discutir não é brigar), fundamentalmente, sobre a ética nesse meio. E quanto mais se discute descobre-se que, cada vez mais, ela vai se distanciando e criando abismos (profundos, escuros, tenebrosos, grotescos...) entre as pessoas do meio.

Não chega a ser, porque já é, lastimável constatar diuturnamente esse comportamento.

Para piorar, se é possível, o linguajar esdrúxulo e malcuidado, o desleixo em tratar o vernáculo, fazem com que a comunicação se definhe e tome rumos que não os desejados, só auxiliando o crescimento do abismo já criado, e abalando ainda mais as já tênues ligações entre as pessoas. Que a "cara pussa" (sic) sirva a quem de direito.

Consequentemente, em detrimento ao dito acima, constatamos uma crescente animosidade, de cunho notadamente antiético, criada por pessoas sórdidas que insistem em se imiscuir, a qualquer custo, criando uma egrégora maligna, nos círculos tarológicos.

Como diz Lia Luft, o sórdido, o caluniador, não pode ser um bom pai, nunca será um filho amoroso, e jamais um profissional honesto. Acolher em seu círculo esse tolo é querer se sujeitar à contaminação da sordidez.

Chega de mau-caratismo!

Bem, para tentar evitar essa contaminação, pretendo continuar em minha toca e manter meu anjo alegre!


Texto de excelência do tarólogo Rogério Novo, publicado originalmente em seu perfil do Facebook. Obrigado!

Comentários

  1. É meu caro, as vezes é bom fazer O eremita, pra não ter que virar um rei de espadas com esse povo do mau, beijos!

    ResponderExcluir
  2. My Lord,
    certamente e além de tudo, não fazer nosso anjo chorar! Boa semana!

    ResponderExcluir
  3. Somos sim "dualidades" mas, isso não quer dizer que sejamos obrigados a sucumbir ao que é mal, baixo e feio. A beleza realmente está na batalha, não precisamos aguardar os louros da vitória.
    Ótimo texto! Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Grey,
    nosso transitar polarizado e dual nesta manifestação é o que penso nos conduzir à evolução. Porém são escolhas e práticas individuais.
    É uma forma simples e fácil, porém, me parece que boa parte da humanidade tem dificuldade em lidar com o simples e complica o que não tem necessidade.

    Obrigado por comentar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Viajante,

sugestões e críticas são bem-vindas.
Concorde ou discorde, jamais ofenda.
Leia antes nossa Política de Comentários.

Não realizamos: interpretações de jogos, combinações de cartas e atendimentos.

Deixe registrado aqui o seu melhor!

Ahlan wa Sahlan!!